QUANTO VALE A VIDA DE UM POLICIAL?

25/09/2013 10:00

 

"Policial continua desarmado, só que desta vez a 75 km de distância"

 

MILITAR QUE DENUNCIOU O COMANDO DO 10º BATALHÃO EM PIRACICABA POR EXPOR SUA VIDA A PERIGO DESARMADO EM PORTARIA DE QUARTEL CONTINUA DESARMADO, SÓ QUE A 70 KM DE DISTÂNCIA.


Cabo PM Marco Ferreira, diretor da APPMARESP está enfrentando uma odisséia que, se não fosse trágica, seria cômica.


Desde a semana passada, quando denunciou a condição de perigo a que estava sendo exposto em razão de questionar a transferência indevida que sofreu devido a fazer parte da APPMARESP, quando foi escalado desarmado pra fazer a guarda do Quartel, vem sofrendo constantes remoções e apresentações em lugares diferentes, cada vez mais longe de casa e da sua família. Na Sexta feira foi transferido  para São Pedro, a quarenta quilômetros de Piracicaba, cidade onde reside.

Quando chegou para trabalhar na Segunda feira já estava transferido novamente para Santa Maria da Serra, trinta quilômetros à frente, desarmado e sozinho num destacamento policial sem rádio e sem telefone de emergência, numa clara demonstração de que deveria se calar e se resignar aos abusos que estava sofrendo. Indignado, o Cabo entrou em contato com o Major Cerqueira, responsável direto  pelo dever da administração de manter o policial em Piracicaba, em virtude do processo do qual é presidente

Após esse fato, o policial foi chamado de volta a São Pedro, onde o comandante Tenente Sol Reys determinou que ele permanecesse em São Pedro pelo resto do dia e que, na manhã seguinte, retornasse a Santa Maria da Serra, onde deveria permanecer cumprindo escala de expediente administrativo de segunda a sexta feira.
O policial continua desarmado, numa clara violação de seus direitos humanos fundamentais, trabalhando no atendimento ao público, inclusive na elaboração de Boletim de Ocorrência, já que o local onde presta serviço não é dividido por seções e sequer tem condições de manter um policial só nas rotinas administrativas. A base não dispõe de rádio, intranet, telefone de emergência e nem qualquer estrutura que comporte um serviço administrativo.

O advogado do policial , Doutor  Edivado Lins do Nascimento, procurou a ADM do CPI-9 onde peticionou pela cessação da coação imediatamente e obteve a resposta de que o caso seria resolvido em 24 horas

Estamos enviando o link desta matéria para a Corregedoria da PM, para o TJM, para a ASSEMBLEIA LEGISLATIVA, para os jornais e afins, pois acreditamos tratar-se de um flagrante abuso de autoridade cometido pelo comandante do 10º BPM-I

 

BASE LEGAL PARA NÃO TRANSFERÊNCIA DO POLICIAL

I-16 PM (nova redação)
Título III
Capítulo I
Seção I
Das Medidas Cautelares
Medidas que recaem sobre o militar do estado acusado:
Artigo 112: O comandante, chefe ou diretor do militar do estado acusado em processo regular deverá determinar que ele fique:
...
IV - Se praça:
a) Vinculado à Unidade do presidente do Processo Administrativo Disciplinar, como adido se necessário, desde a instauração do Conselho de Disciplina ou do PAD até a publicação da decisão definitiva.
Gostaria de saber dos meus amigos, se o presidente do meu CD é Chefe de Divisão Operacional no CPI, por quê eu estou sendo transferido do CPI para outras unidades? Isso está certo?
Marco Ferreira - Acusado no CD nº CPI9-003/120/12.

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!