CPI-9 X APPMARESP = TENTATIVA DE RECONCILIAÇÃO ?

03/06/2015 20:03

DIRETOR DA APPMARESP É HOMENAGEADO PELO COMANDANTE DO CPI-9.

SERIA UMA TENTATIVA DE APROXIMAÇÃO?

SEMPRE ESTAREMOS ABERTOS AO DIÁLOGO.

                        O Presidente do Conselho Deliberativo da APPMARESP, cabo PM ROBSON GOMES, constantemente hostilizado no CPI-9 em razão de pertencer à diretoria da associação que vem fazendo história por denunciar atos incompatíveis dos comandantes da PM na região de Piracicaba, para surpresa de todos, no dia em que deveria estar preso administrativamente segundo o desejo de determinados oficiais, punição cancelada por medida judicial através  do diretor do departamento jurídico da APPMARESP, Dr. Gustavo Gurgel, ao invés de ficar preso, o policial ainda recebeu foi uma homenagem diretamente das mãos do comandante do CPI, Coronel Humberto Figueiredo.

                        Esse fato deve ser comemorado com ênfase, uma vez que o coronel Figueiredo é conhecido justamente por atacar a APPMARESP, talvez por não ter conhecimento de nossas lutas, de nossos ideais e ter se deixado influenciar por oficiais por nós denunciados no passado, por condutas que destoam da seriedade do militarismo, característica fundamental da PM.

                        Ao coronel Figueiredo, por seu gesto de humildade e retratação ante a um membro da APPMARESP, estendemos a mão cordialmente, em sinal de paz.

                        Lembramos a todos que, independentemente de quem deu o  primeiro passo, o importante é a composição, o entendimento, a boa convivência.

                        Mal entendido...

                        Na semana anterior, havia ficado pendente no ar, um mal entendido quando o coronel Figueiredo, na revista matinal da sexta feira passada, dirigiu duras palavras ao efetivo em forma, gerando a falsa impressão de que estava criticando o cabo Robson, o qual não estava presente para se defender. Evidentemente, com esse nobre gesto da sexta feira recente, ele demonstrou que não tem reservas contra o Cabo Robson, tendo o homenageado diante de todo o efetivo, demonstrando claramente que suas duras palavras da semana anterior não eram direcionadas ao policial, mas sim uma orientação mais enérgica a todos os demais.

                        Por esse gesto, estendemos a bandeira branca e nos colocamos à disposição do coronel Figueiredo, para retomarmos as conversações iniciadas com seu antecessor, coronel Cesar Branco, que abriu as portas do quartel para a APPMARESP, mas que, com sua saída repentina, talvez justamente por ter dado ouvidos às pessoas erradas, essas portas foram novamente fechadas.

                        A APPMARESP reafirma que não é inimiga da justiça e muito menos da PMESP. Pelo contrário. Nosso maior desejo é justamente ver a justiça sendo o fiel estandarte da PMESP, em todas as ações de todos os seus integrantes, desde o coronel mais antigo, até o soldado mais recruta.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!