COMANDANTE GERAL DA PM CONTESTA ORDENS MÉDICAS

15/11/2014 09:53

O CORPO CLÍNICO DA PM ESTÁ CONTESTANDO TODOS OS LAUDOS PSIQUIÁTRICOS APRESENTADOS PELOS POLICIAIS MILITARES. SEGUNDO APURADO, POR ORDEM DIRETA DO COMANDO GERAL DA PM.

Como se não bastassem os coronéis da PM contrariarem a Lei Penal, a Lei de Processo Penal, a Constituição Federal e o Estatuto da Advocacia do Brasil, agora começaram a desafiar o Conselho Regional de Medicina.

Por ordem do comandante da PM, os policiais médicos estão revertendo os afastamentos para tratamentos de saúde de todos os policiais, licenciados por médicos especialistas, sob tratamento psiquiátrico e psicológico, de doenças adquiridas na função policial, em razão do serviço, uma vez que para entrar na PM temos que fazer uma série de exames de saúde e só depois de um tempo sob estresse adquirimos essas enfermidades.
O POLICIAL MÉDICO DEVERIA LEMBRAR QUE ANTES DE SER POLICIAL ELE É MÉDICO, DEVERIA SEGUIR UM CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL. 
Ortopedistas, dentistas, clínicos gerais, nefrologistas, contestando laudos de especialistas em psiquiatria, colocando em risco além do policial militar, a família e as pessoas atendidas por ele. 
Cabe fazer uma observação pertinente aqui, de que mais de 70% do efetivo da PM paulista já sofreu ou sofre de algum distúrbio psicológico ou psiquiátrico ou está sob tratamento. Esses dados são da própria corporação.
Sabemos também que a taxa de suicídios entre os policiais é altíssima, sendo a profissão onde mais casos de suicídio ocorrem.
O suicídio é a terceira maior causa de mortes no estado de São Paulo, só perdendo para a violência urbana (2ª) e os acidentes no trânsito (1ª). E a PM é a campeã disparada!
O que o comandante quer? Que seus policiais morram?
A Polícia Militar não dispõe de um acompanhamento psiquiátrico sério e competente para atender o seu público interno, prova disso são os altos índices de suicídios, de surtos psicóticos, de surtos depressivos e de síndrome de pânico, além da enorme quantidade de lares desfeitos entre seus integrantes. Quando o policial busca ajuda através de tratamento particular, muitas vezes tendo que complementar sua renda para custear tal tratamento, a PM simplesmente vai lá e atrapalha tudo.
Os tratamentos psiquiátrico e psicológico são intervenções delicadas, resultados de um profundo estudo individual da vida social do paciente e, quando um médico psiquiatra determina o afastamento das funções, é devido ao perigo que o indivíduo representa para si próprio ou para o meio, ou seja, o médico especialista, autoridade competente, determina que o policial se afaste de seu trabalho a fim de que se cure, e um administrador de pessoal, com um diploma que só é reconhecido pela empresa que o concedeu, determina que ele retorne ao foco da causa do mal que o aflige, simplesmente porque tem poder sobre o policial.
VAMOS DENUNCIAR ESSE CRIME AO CREMESP – CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO.
Se você é policial nessa situação ou familiar de policial que esteja sofrendo esse tipo de assédio, entre em contato conosco, que vamos fazer a denúncia junto às autoridades competentes SEM CUSTO PARA OS POLICIAIS E PARA AS FAMÍLIAS.
Envie-nos um e-mail com o seu caso para diretoria@appmaresp.com com um telefone de contato, e o nosso departamento jurídico vai retornar com as instruções.
Lembrem-se: Pior do que aquele que pratica uma injustiça, é quem, podendo evitá-la, nada faz.
O comandante da PM não pode ignorar a frase de rodapé de seus documentos oficiais, sob pena de se tornar um imbecil, ditador e tirano, que não respeita a pessoa humana do policial sob seu comando.
FALE CONOSCO. ESTAMOS À DISPOSIÇÃO.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!