CORONEL SE ACOVARDOU E RETIROU POSTAGEM DIFAMATÓRIA

15/03/2016 15:33

          Depois de ser notificado pela Autoridade Policial de que o presidente da APPMARESP registrou Boletim de ocorrência contra ele na delegacia de polícia, pelos crimes de calúnia e difamação, o coronel PMESP Humberto Gouvêa Figueiredo, comandante do CPI-9 (Comando de policiamento do Interior Nove), retirou de seu perfil institucional a postagem caluniadora e difamatória que divulgou contra o presidente da appmaresp, onde o acusa de ter cometido crimes que sabe que nunca cometeu.

          O coronel ocupa hoje a função cujo antecessor, coronel Cesar Branco, absolveu, seguindo parecer da Comissão julgadora por ele nomeada, um Conselho de Disciplina, Processo Administrativo Interno, formado por três oficiais, que absolveram por unanimidade o Cabo Marco Ferreira pelas acusações graves que pesavam falsamente contra ele, decisão seguida pelo seu antecessor, coronel PM Cesar Branco, AUTORIDADE INSTAURADORA, que também absolveu o Cabo Marco.

          Portanto, o Coronel Figueiredo tem o dever funcional de saber que o Marco Ferreira é inocente das acusações caluniosas que imputou a ele em seu perfil policial.

          Lembramos que o perfil institucional do coronel Figueiredo, comandante de Grande Comando na PMESP, que é autoridade sobre cerca de 3.500 policiais militares, homens e mulheres de bem, que se espelham em seus conselhos e em suas orientações, como não deveria deixar de ser, posto que são militares e a premissa do militarismo é a condução cega e inquestionável do juízo de valores do “superior”, sob pena inclusive de prisão (art. 166 do CPM) a quem discordar, é visualizado por todos os seus subordinados nas mais de 50 cidades por onde se estende seu grande comando, além de ser pessoa pública, formadora de opinião e, portanto, ter um compromisso com a verdade, por dever de ofício.

          A mácula causada na reputação do Marco Ferreira pela postagem inconsequente do Figueiredo é incalculável, haja vista se tratar de pessoa idônea, presidente de uma associação de classe, ainda que contrária à ideologia do caluniador, mas que sempre lutou com dignidade e respeito, no campo das ideias.

          Assim que teve conhecimento das providências judiciais e policiais contra sua pessoa, pelos crimes que praticou, o coronel, covarde como sempre foi, retirou a postagem, a exemplo do também covarde major Olimpio, que se utiliza da envergadura de parlamentar para difamar o presidente da APPMARESP, sendo copiado por incautos e outros criminosos inconsequentes.

          O presidente vai processar o Figueiredo, não para enriquecer a custa de sua ignorância e covardia, mas para mostrar aos seus subordinados o naipe do caráter de seu comandante, que envergonha a Deontologia Policial Militar.

          Envergonha também o CPI-9, um grande comando com apenas dez anos de bons serviços prestados, por onde passaram grandes nomes, ícones da polícia Militar do estado de São Paulo, como o Coronel Isidro Suíta, Coronel Paulo C. Franco, seus fundadores, e Coronel Alaor Gasparotto, um humanista, que têm seus nomes manchados pela conduta de um fofoqueiro e caluniador, que usa sua autoridade de grande comando para difamar uma entidade sem fins lucrativos, comprometida com a probidade do serviço público e com a defesa da dignidade humana, não só de seus associados policiais militares, mas também dos destinatários do serviço policial, a saber, o povo.

          Este coronel é magoado conosco porque, diferente dele, um fofoqueiro de internet, nós o denunciamos formalmente na justiça, de modo transparente, e assinamos as denúncias, mostrando nosso compromisso social.

          Algumas dessas denúncias podem ser consultadas na própria corregedoria da PM:

          - Por desviar as funções das viaturas do policiamento a fim de atender uma empresa particular, com prejuízo para o serviço (IC nº 5677/14 MP Piracicaba);

          - Por obstruir a justiça mentindo deliberadamente ao MP na averiguação da denúncia anterior (Protocolo 1024/2015 do MP Piracicaba);

          - Por fraudar o teste de aptidão física anual e punir injustamente funcionários do setor de publicações (RD 2307/143/15 Corregedoria da PM);

          - Por Maus Tratos contra subordinado;

          - Por fazer uma festa de três dias num resort de luxo, com viaturas e meios institucionais e não ter justificado quem pagou a conta;

          - Por fazer um convênio obscuro de trânsito com a Prefeitura municipal de Piracicaba, sem contrapartida para o Estado, contribuindo para o enriquecimento ilícito do município nos termos dos §§ 2º, 4º e 6º do art. 37 da CF;

          Tais condutas não condizem com os princípios da probidade e da moralidade da Instituição Polícia Militar, motivo pelo qual encaminharemos ofício ao senhor Secretário de Segurança Pública, Dr. Alexandre Morais, requerendo a imediata transferência do Figueiredo do comando do CPI-9, por suas condutas improbas e direcionadas, que resultam em uma vergonha para a policia Militar do Estado de São Paulo.

          Se esse coronel tiver qualquer acusação contra nós, o desafiamos a que faça assim como nós fizemos. Denuncie na justiça.

Fofocas não são bem vistas nem pelos mais simplórios comandados que, percebendo a fraqueza de seu comandante, tendem a dar ouvidos a qualquer um que demonstre maior controle emocional e preparo para a lida com seres humanos.

     Esperamos uma retratação pública do Sr. Comandante geral da polícia Militar, Coronel PM Ricardo Gambaroni, o qual temos certeza que não é conivente com tais atitudes isoladas desse mau gestor chamado Humberto Figueiredo.

Piracicaba, 15 de março de 2016.

Departamento de jornalismo APPMARESP


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!