Estado vai pagar seguro a PM morto na folga

20/10/2012 07:27

OLÍVIA FLORÊNCIA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA
GIBA BERGAMIM JR.
DE SÃO PAULO

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse ontem que o Estado vai pagar seguro às famílias de PMs que tenham sido assassinados pelo fato de serem policiais.

A afirmação vem cinco dias após a Folha mostrar que familiares de PMs mortos fora de serviço buscam na Justiça indenização por não terem direito ao seguro pago pela PM.

O benefício será pago sempre que for provado que o PM morreu por pertencer à corporação. "Aqueles que morreram por serem policiais, mesmo não estando em serviço, terão seguro", disse Alckmin.

Neste ano, em apenas 46 dos 86 casos de PMs mortos, segundo o secretário Antonio Ferreira Pinto (Segurança Pública), a polícia acredita que a motivação foi o fato de a vítima pertencer à corporação.

A MetLife, empresa que faz as apólices de seguro de 128 mil policiais militares e civis do Estado, disse à Folha que o contrato vigente para os PMs vence no fim de novembro.

No entanto, a empresa diz já ter ganhado uma nova licitação, que permitirá um novo contrato, válido por cinco anos, a partir de 2013.

Segundo a empresa, o novo contrato segue o mesmo modelo do atual: válido para policiais civis e militares mortos em serviço ou no caminho de ida e volta do trabalho.

A MetLife diz que não foi informada de uma nova concorrência. Seguradoras ouvidas pela Folha dizem que, se incluir o direito de indenização ao PM morto durante a folga, o valor da apólice vai subir consideravelmente.

O governo disse que aguarda estudo jurídico para ver como contemplará a nova cláusula, pois o atual contrato não pode ser modificado. Segundo a secretaria, a MetLife venceu a licitação, mas uma nova será aberta.

 

  Editoria de arte/Folhapress  

Fonte: folha

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!