O POLICIAL POBRE CONTRA O PROFESSOR POBRE.

30/04/2015 09:55

OS DOIS LADOS DE UMA MESMA MOEDA SEM VALOR

ATÉ QUANDO A POLÍCIA VAI SER USADA COMO ESCUDO DE UM GOVERNO CORRUPTO E OMISSO NOS SEUS DEVERES DE ESTADO?


Como podem os professores, formadores de todas as outras profissões, educadores por excelência, serem tratados pelo governo como material de segunda categoria?
Como podem, sendo o pálio de cultura de uma nação, serem tratados como se desordeiros fossem, combatidos a gás e cassetetes por outros que também são essenciais à nação mas que também são tratados como párias?

Numa nação DEMOCRÁTICA, como é o caso do BRASIL, subentende-se que a EDUCAÇÃO e a cultura sejam os pilares de sustentação da sociedade, da boa convivência e do diálogo pacífico. Mas, quem patrocina a educação do povo senão o PROFESSOR?
Temos uma cultura multirracial e multiterritorial, uma vez que fomos colonizados por nações diferentes em diferentes épocas e temos fronteiras abertas para quem queira entrar e permanecer no país, o que nos leva, ou pelo menos deveria nos levar, a uma capacidade infinitamente maior de diálogo, de compreensão e de aceitação das DIFERENÇAS CULTURAIS do outro.

Nosso GOVERNO, que não deveria ser chamado assim, afinal NÃO NOS GOVERNA DE FATO, mas sim são pessoas eleitas por nós para nos representarem em decisões coletivas, e não donos de nossos atos, age como se fosse dono de uma verdade absoluta e certamente age de forma reprovável quando deixa que MESTRES, fundamentais para a formação de todos os nossos profissionais, de todas as áreas do saber e do fazer, vivam com salários de fome, tendo que reivindicarem nas ruas por uma providência que deveria ser essencial à categoria, automaticamente. Esse mesmo “governo”, usa outros profissionais, a saber a POLÍCIA MILITAR, também considerados cidadãos de segunda estirpe, para combaterem as reivindicações justas dos professores.
Daí a pergunta:

COMO PODE O POLICIAL SE DAR A UMA CONDUTA DESSAS?

E quando perguntamos isso, mais nos entristece a resposta:
- ESTAMOS CUMPRINDO ORDENS!

O que são tais ordens? Qual o fundamento de uma ordem como essa? De reprimir o futuro, de reprimir E PRIVAR o cidadão de um direito Constitucional que lhe é assegurado pela lei maior do nosso país?

NÃO SÃO NOSSOS INIMIGOS. SÃO OS QUE EDUCAM NOSSOS FILHOS ENQUANTO ESTAMOS LONGE DE CASA, NA DUPLA JORNADA DE TRABALHO, BUSCANDO JUSTAMENTE UMA MELHOR EDUCAÇÃO PARA ELES!

Vejam o contrassenso de se combater a luta dos professores por melhores condições de trabalho, justamente quando queremos que nossos filhos tenham uma melhor educação, a fim de que sejam melhores do que somos, tenham melhores oportunidades que tivemos e tenham a tranquilidade financeira que não temos?

Precisamos entender a dinâmica da sociedade contemporânea e nos solidarizarmos com a luta dos professores, sem os quais nenhuma nação se estabelece.

São nossos mestres. São como nós. Cidadãos de segunda categoria, relegados ao abandono do Estado, que agindo assim, por conseguinte relega nossos filhos a uma educação pior, a condições inferiores de cultura, de entendimento e de sabedoria.
Os reflexos dos golpes que damos nos grevistas serão vistos no dorso dos nossos filhos no futuro. Mal educados, sucateados, mercadoria de segunda ou terceira categoria. Mão de obra barata.

A reivindicação do professor deveria ser a reivindicação do policial, do agente de saúde, do guarda civil, e de todos os outros profissionais fundamentais para a formação saudável e apropriada dos nossos filhos.

Solidarizo com a categoria dos PROFESSORES, sinônimo vivo da palavra EDUCAÇÃO. Se de alguma maneira eles têm se comportado de forma mais incisiva e enérgica, é porque esta é a única forma de serem ouvidos por um governo moco, propositalmente insensível à sua luta.

APRENDAMOS COM ELES, AO INVÉS DE COMBATÊ-LOS.

Marco Ferreira - APPMARESP

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!