PLANO DA ESQUERDA: A MENTIRA SOBRE A DESMILITARIZAÇÃO DAS POLÍCIAS SER UM

25/04/2016 07:19

A ENGANAÇÃO QUE DIVIDE OS INCAUTOS ENTRE OS QUE ODEIAM E OS QUE NÃO CONHECEM...

 

Temos ouvido constantemente dos policiais militares a falácia de que a desmilitarização das polícias estaduais de segurança pública é um plano maquiavélico do PT (governo federal) para criar um “exército vermelho”, ou seja, retirar do Brasil a capacidade de se defender de um pretenso “ataque à democracia”, quando as polícias, desmilitarizadas, não teriam como defender a sociedade contra o “comunismo”.

 

ESSA ESTÓRIA NÃO PASSA DE UMA MENTIRA.

 

Podemos analisar o caso recente do estado de Minas Gerais, onde o governador, Fernando Pimentel, do PT (partido do governo federal), acusado de diversos crimes pela Polícia Federal, na operação Acrônimo, entre eles corrupção, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, tráfico de influência e organização criminosa, com pedido de impeachment em curso na Assembleia Legislativa de Minas Gerais e citado na Operação Lava Jato por formação de “Caixa 2” de campanha, utilizou a PM como exército particular.

 

Entenda o fato:

O Governador Fernando Pimentel instituiu dia 19/04, através do decreto do executivo nº 46.983/16, um perímetro de segurança entre ele e as pessoas a quem deveria servir, e para tanto, usa a polícia militar a seu bel prazer, como nos filmes de ditaduras totalitárias que vemos na televisão e no cinema.

 

No dia 21 de abril, na cidade de Ouro Preto, programou entrega de comendas aos militantes do MST (diretamente ligados ao governo federal do PT), em praça pública, mas cercou o local e isolou os acessos, só permitindo que seus correligionários tivessem acesso a tais locais.

 

Seu exército particular obstou até mesmo a presença do Deputado Estadual SARGENTO RODRIGUES, um fiscal do executivo, com imunidade parlamentar e representante do interesse público.

O batalhão de choque da PM, A DESPEITO DE ESTAR “OBEDECENDO ORDENS” do governador, agiu com violência desmedida contra um grupo de policiais militares de folga, desarmados, em trajes civis, num protesto pacífico, tendo inclusive atirado gás de pimenta sobre eles, no que incluímos entre as vítimas, o Deputado estadual Sargento RODRIGUES, um conhecido defensor da PM, inclusive dos que o agrediram.

 

Outra “coincidência” relevante, é que o Comandante Geral da PM de Minas Gerais, CORONEL MARCO ANTONIO BADARÓ BIANCHIN, é também o presidente do CNCG - Conselho Nacional dos Comandantes Gerais das Polícias Militares de todo o Brasil, ou seja, as polícias militares de todo o Brasil são subordinadas ao homem de confiança do governador corrupto do PT.

 

O Comandante Geral da PM é amigo pessoal do Governador, nomeado pessoalmente por ele para cuidar dos assuntos de defesa interna.

 

O que é o CNCG (Conselho Nacional dos Comandantes Gerais)?

 

O CNCG é uma espécie de sindicato patronal das Polícias Militares, que determina os comportamentos, os regulamentos, a unidade de gestão, as normatizações internas de todas as polícias militares do país, sob o comando do homem de confiança do governador do PT, o que inevitavelmente nos levaria à conclusão de que, justamente em razão de sermos militares, já estamos sob comando do PT. Então, quando entraria a parte de que, desmilitarizando, estaríamos a sua mercê?

 

POR QUE UM GOVERNADOR DE UMA ÚNICA UNIDADE FEDERATIVA DO PAÍS COMANDA TODAS AS POLÍCIAS MILITARES DO BRASIL?

 

Justamente por sermos “MILITARES”.

 

UMA POLÍCIA MILITARIZADA DEVE OBEDIÊNCIA CEGA A SEUS COMANDANTES, INDEPENDENTEMENTE DA VONTADE DO POVO OU DAS QUESTÕES SOCIAIS ENVOLVIDAS EM SEU TRABALHO.

 

O governador de Minas Gerais tem ascendência sobre o presidente do conselho nacional das Polícias Militares, através de seu braço direito, coronel Bianchini, que comanda o segundo maior efetivo militar do Brasil (cerca de 42 mil homens e mulheres), preparados para uma guerra, ainda que contra o povo ou contra sua própria gente, unicamente por serem subordinados a regramentos de caserna.

 

É IMPORTANTE QUE AS PESSOAS, PRINCIPALMENTE OS POLICIAIS MILITARES, ENTENDAM QUE DESMILITARIZANDO, CADA POLÍCIA FICARIA SUBORDINADA UNICAMENTE À SUA UNIDADE FEDERATIVA, COMO É O CASO DA POLÍCIA CIVIL.

 

A PM há muito tempo fugiu ao controle do Ministério público (art. 129 da CF), posto que a competência do Ministério Público não extrapola a fronteira da unidade federativa, mas as polícias militares são organizadas, através da FENEME e do CNCG, dois órgãos patronais da PM, em nível nacional.

 

Possuem seus próprios “Tribunais de Justiça” internos, compostos por oficiais indicados pelos comandantes para julgarem-se a si próprios, com visão estritamente corporativista e institucional, e de conivência escandalosa.

 

Da forma como as polícias militares são organizadas, há uma possibilidade infinitamente superior de serem utilizadas por algum organismo mal intencionado do que se fossem desmilitarizadas, subordinadas unicamente aos seus estados membros.

 

A Polícia Militar é força auxiliar do exército, o que nos leva a outro questionamento:

 

Caso algum partido decida mudar a forma de governo, o fará com o auxílio das forças armadas, ou seja, do exército e de sua força auxiliar, a saber, a PM. Portanto, é um contra senso absurdo dizer que a PM evitaria a implantação do socialismo, ou comunismo, ou imperialismo no Brasil.

 

Não há a menor possibilidade de a PM, sendo subordinada às Forças Armadas, rebelar-se contra ordem governamental sem cometer crime de insubordinação, motim ou revolta, o que levaria o Congresso nacional a solicitar até o apoio da ONU, o que resultaria num massacre dos policiais revoltosos, por forças militares de guerra, treinadas para o combate, diferentes dos policiais militares, que recebem um parco treinamento para resolverem conflitos familiares e patrulhamento ostensivo.

 

Quem prega essa intervenção da PM frente ao Governo Federal precisa, em primeiro lugar, estudar sociologia, política, polemologia, geografia e história.

 

Essa ideia é de uma imbecilidade sem fim, a partir do momento que induz o policial de segurança pública a acreditar que é um guerreiro treinado para a “libertação da nação” das mãos do inimigo, quando nada mais somos do que protetores da incolumidade do cidadão, através da visibilidade que demonstramos, criando a falsa sensação de segurança num país onde morrem assassinadas, quase sessenta mil pessoas por ano.

 

Policial militar, questione quem lhe disser que você deve morrer pela empresa.

 

VOCÊ DEVE LUTAR E, SE PRECISO FOR, ATÉ MORRER, MAS QUE SEJA PELA SUA FAMÍLIA, PELOS SEUS IDEAIS, ATÉ PELA SUA FÉ, mas nunca pela instituição que mente para você e cria a falsa sensação de que você é um guerreiro que ENTROU PELA PORTA DOS FUNDOS DO EXÉRCITO.

POLICIAL NÃO DEFENDE SOBERANIA NACIONAL. POLICIAL DEFENDE A INCOLUMIDADE DO CIDADÃO.

 

Prestem atenção...

Já estamos sendo utilizados como polícia política, servindo a governos corruptos e individualistas, segregando até mesmo aos nossos irmãos de uniforme.

A leitura, o conhecimento e a razão são nossos aliados para libertarmo-nos de tal segregação.

Convido-os todos, à leitura saudável, à prática da discussão lógica e da análise dos motivos de sermos escravos em uma empresa que depende exclusivamente de nós.

 

Não sejamos “gado”.

Sejamos senhores das nossas mentes e corações.

Marco Ferreira – Cientista Político - APPMARESP


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!