POLICIAL, VAMOS PRA RUA DIA 15 ?????????????

11/03/2015 09:02

Amigo POLICIAL MILITAR, você que com certeza vai estar de prontidão no próximo final de semana, desde a noite de quinta feira até a manhã de segunda ou mais, vai perder o convívio com seus familiares nesse meio tempo, vai estar muito mais com a “tropa” do que com a esposa (ou marido), pense muito bem em qual é o seu objetivo nessa guerra político-partidária que ora se desenha.

Quem vai pra rua esse final de semana, vai por motivos justos e corretos, de seu ponto de vista individual. O grande problema é que uma manifestação pública nunca é individual e o comportamento coletivo é diferente, porque a coletividade altera a percepção do indivíduo. Nos grupos de sexta feira, pró governo, há uma identidade muito grande com a violência, por tratarem-se de pessoas de origem camponesa, cuja cultura é básica e que utiliza instrumentos de trabalho que podem ser considerados como armas , mas que são ferramentas de trabalho quando utilizadas para a finalidade correta.

Se identificam com o governo e seus programas sociais e serão influenciados por estrategistas de guerrilha urbana e rural, com amplo conhecimento de combate armado e grande influência sobre os trabalhadores envolvidos. Nos grupos de domingo, haverá mais pessoas, mas cada uma delas irá às ruas por um motivo diferente. Não serão organizados e nem terão um objetivo específico. São contrários ao governo e, em sua maioria, nem terão a solução para o caso de realmente conseguirem retirar a presidente do poder. Também são trabalhadores e muito provavelmente, estarão desarmados, inclusive de ferramentas. Mas têm uma vantagem a seu favor.

Ainda que parcamente, são politizados, são culturalmente instruídos e conhecem as limitações da polícia mais do que o primeiro grupo. O que o POLICIAL MILITAR precisa entender é que AMBOS OS GRUPOS SERÃO COMPOSTOS POR TRABALHADORES. Bandidos não saem às ruas para protestar por um país melhor. O policial é parte da sociedade e precisa ter um entendimento amplo dessa condição. Como cidadão que é, se torna particularmente responsável pelo futuro do país, tanto quanto qualquer manifestante. A mídia vai estar nas ruas, procurando uma vítima para aparecer nos noticiários e vender, vender, vender... tomem cuidado. Os Direitos Humanos estrão nas ruas, talvez muito mais na sexta do que no domingo, mas são potencialmente “inimigos” da polícia, uma vez que a POLÍCIA representa o Estado, e não o indivíduo.

POLICIAL, NÃO PERCA SEU EMPREGO OU A SUA LIBERDADE PARA DEFENDER ALGO QUE NÃO VALHA A PENA. AJA COM MATURIDADE E ISENÇÃO. DEFENDA O CIDADÃO. ESCOLHA UM LADO. Não podemos e nem devemos ser omissos, abusivos ou parciais. Seu comandante tem interesses políticos. Tome cuidado com as ordens que recebe, e mais cuidado ainda se as irá executar. Quando a poeira baixar, será a sua imagem que a mídia irá exibir, e não a dele. “O ESTADO SEMPRE HÁ DE CORTAR UM DEDO PRA SALVAR O CORPO”. Não seja esse dedo.

Marco Ferreira - jornalista


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!