TRIBUNAL DE JUSTIÇA MILITAR DE SÃO PAULO, CADA VEZ MAIS NOS MOSTRANDO O PERIGO DE UMA "JUSTIÇA" INSTITUCIONAL...

17/09/2015 11:46

Recentemente foi divulgado à "tropa", o resultado de um "julgamento histórico", como se refere o comandante, da Auditoria Militar do TJMSP, onde dois cabos são condenados a mais de cem anos de prisão por crimes ligados a corrupção.

A condenação foi divulgada mediante ordem de serviço, para atingir o maior alcance possível dentro da corporação.

????????? DOIS CABOS ??????????

Seria uma matéria deveras interessante, se não houvesse algumas incongruências no tocante à organização criminosa que resultou na condenação dos dois cabos.

Todos sabemos que quem elabora o plano de policiamento é um oficial. Quem coordena a atividade policial numa região ou microrregião de ação é um oficial. Quem distribui as tarefas de ronda e patrulha, é um oficial, e assim por diante...

Entretanto, na visão "institucional" do TJM, esses dois cabos eram responsáveis por toda uma estratégia de favorecimento ao jogo ilegal, como se os dois cabos fossem os comandantes do Policiamento naquela macrorregião.

Qualquer idiota saberia que tem "PEIXE GRANDE" envolvido.

Retiro o que eu disse. Qualquer idiota é um termo muito abrangente. Somente alguns idiotas, que conseguem ver a justiça fora do "panelão", fora da caserna, fora da farda. Uma justiça igualitária, isenta e sem subordinação alienada a um código de "ÉTICA" questionável e tendencioso.

Não estou aqui advogando em favor dos cabos condenados, mas sim alertando para o fato de que não eram autônomos, nunca foram, e nem poderiam ser.

A Polícia Militar do Estado de São Paulo é o órgão mais vigilante de seus empregados que existe. Não existe um só caso de corrupção que envolva um cabo ou soldado, onde pelo menos meia dúzia de oficiais não se beneficie direta ou indiretamente da ação delituosa ou da omissão favorecedora do crime.


É uma justiça muito perigosa essa que condena o praça e absolve o oficial.

Por isso sou incondicionalmente pelo fim da Justiça Militar Estadual, que representa um retrocesso no sistema judiciário, por ser subordinada a uma instituição governamental de segregação popular em prol de interesses econômicos e político-eleitorais de poucos.

POR UMA JUSTIÇA JUSTA DE VERDADE...

Documento em arquivo PDF: 12019877_422554411261702_5540425873884626865_n.jpg (51642)


Marco Ferreira


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!